Os verdadeiros ladrões do nosso dinheiro

OS VÍCIOS SÃO VERDADEIROS LADRÕES DO NOSSO DINHEIRO

Fumar, beber, jogar diariamente, além de estragar a saúde, contribui ara a rápida falência financeira e moral. Faça o cálculo de quanto gasta semanalmente com os vícios e analise sua situação econômica. Você acha que deve continuar gastando seu dinheiro do mesmo modo? Você sabe o que fazer para se libertar? Quer e deseja de fato obter total libertação? Motivo da pergunta objetiva é para provar-lhe uma coisa: se você está numa crise financeira, a culpa não é do governo, do ministro fulano, do seu pai ou mãe, a culpa é unicamente sua, por insistir em querer ganhar dinheiro juntar fortuna, jogando fora o real que consegue ganhar.

A alimentação é o elemento vital no somatório das despesas de uma pessoa. Você, obrigatoriamente, terá que alimentar-se todos os dias. Mas alimentação de verdade nem todos conseguem com a mesma facilidade. Nem a qualidade do alimento é igual para todos.

Tem reparado que s marcas famosas são mais caras e nem sempre melhores? Examine tudo com cuidado. Veja preço por preço. Corte todos os produtos que não têm indispensável valor alimentício, talvez possa economizar alguma coisa. Muitas vezes você paga por um lanche rápido que por uma refeição completa.

Lembre-se que todo desperdício representa um “furinho” em seu balde cheio de dinheiro.

O dinheiro é apenas o resultado líquido da nossa capacidade de gerar benefícios ou malefícios. Exemplo claro: a indústria de cigarros. Trabalham nela milhares de pessoas, que sustentam a si mesmos e as suas famílias, com os salários percebidos. Direta ou indiretamente, tais pessoas estão produzindo produtos, que satisfarão o prazer de outros milhares de consumidores. Todos sabem que o cigarro faz mal à saúde, assim como a maconha e os tóxicos, em geral. Enquanto uns se beneficiam, outros se prejudicam. Mas quem consome um cigarro, seja de fumo ou de maconha, acredita estar se “beneficiando”, de algum modo, com aquela aquisição. Este é o nosso mundo e são as regras do jogo. Você pode condenar o fumo, criticar os fumantes, mas, se estivesse desempregado, aceitaria um convite de uma multinacional do fumo para ganhar um ótimo salário, excelente cargo de confiança, para expandir as vendas do produto. Existe bom senso na questão dinheiro-necessidade? Hoje a maconha não está legalizada, mas, se um dia vier a ser, como é o fumo, talvez muitos mudem de opinião, em troca de um bom emprego da indústria que produza “baseados”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *